02 August 2010

Ilustração

Essa ilustração -sobre a clássica foto de Kevin Carter- eu tinha feito para ilustrar um texto do Le Monde... Aí achei que tinha ficado forte demais e acabei mandando outra. Bom, fica a releitura de uma das fotos mais marcantes e tristes que vi na vida.

7 comments:

Paulo Barbosa said...

Brilhante, Alves. É pena que a grande imprensa nem sempre acompanhe a velocidade de nossas críticas. Quando trabalhei no Tempo, tive minhas charges sistematicamente derrubadas, certamente por que eram demasiado críticas. Dura lex, sed lex...

regi said...

Realmente ficou bem forte Alves, perigoso até te expulsarem da missa de domingo hehehehe... E lembrando que esse kevin Carter tirou essa foto e ganhou o pullitzer. Perguntado sobre o destino da criança ele não soube responder... Daí em diante ele entrou em uma depressão tão profunda que se suicidou em pouco mais de um ano.. se não me engano .. Parabéns pela releitura Alves.. Um abraço!

Alves said...

Pois é Paulão, ainda bem que atualmente a gente pode utilizar de diversos meios pra colocar o pensamento da gente pra fora. Bom, mas não culpo o Le Monde pois nem cheguei a enviar o desenho. Não enviei mesmo por consideração e admiraçao a alguns setores da igreja que fazem um belo trabalho social -a Pastoral Carcerária, por exemplo- e não merecem ser colocadas em pé de igualdade com a ala conservadora. Eu sei que poderia rolar uma generalização,saca?

Abraços, cabra!!

***- - - - - -*****

Ré,ré! Minha crítica como disse acima não é pra toda a igreja, Regi!! Apenas pros setores mais conservadores. É bom que se entenda. Quanto a história do Kevin é muito triste também,né?
Ele podia ter achado outros caminhos...
Abraço, brother!

Ulisses Adirt said...

A charge ficou ótima... O Le Monde perdeu feio por vc não ter mandado.

Alves said...

Ré,ré!

Valeu Ulisses!!

Abraço!!

Paulo Barbosa said...

É, Alves, voce tem toda razão. O chargista é o mais político dos animais. Nem sempre se é recomendável derramar a ira santa contra tudo e contra todos. Há o perigo de nos tornarmos fonte de preconceitos e, assim, o feitiço vira contra o feiticeiro. É isso aí, parabéns pelas ponderações! Abs

Alves said...

Ôpa Paulo!!
Quié isso brother!!
Eu que agradeço pela sua ilustre e inteligente presença em terras desse quilombo!!


Abração

Alves